É o que é…

Na virada para 2009, esqueci de pular as 7 ondas, de comer 7 uvas, lentilhas etc e tal…mas banho de champangne? Aaah, isso eu tomei. Não que eu quisesse…foi inevitável…consequentemente estraguei toda a minha chapinha. Meros detalhes…

Essa ideia ou pseudo-ideia de RECOMEÇO aquece o coração da maioria das pessoas. Quando dezembro vai chegando, “todo mundo” procura rever conceitos, pensa em dar novos rumos para aquela vida que não anda caminhando da forma esperada, começa uma nova dieta da lua, do sol, de saturno…troca de Agenda, enfim…a sensação de que TUDO MUDOU é comum.

Janeiro, costuma ser aquele mês onde me sinto grudada num espelho. É como se eu virasse pra mim o tempo todo e repreendesse a mim mesma quando me pego fazendo as coisas que prometi não fazer mais em 2009.

Quando dá preguiça, vejo uma imagem minha toda atlética, cheia de energia, fazendo polichinelos em plena 6h da manhã. Como tô de férias, relaxo e durmo um tanto mais (espero continuar vendo a imagem da “Maria Aparecida” atlética em 02 de fevereiro, quando retornam as aulas). Quando me irrito com alguma coisa…conto até 10, respiro fundo e procuro não me alarmar de forma precipitada (não quero mais passar os 31 dias do mês com sintomas de TPM).

Aqui no meu quarto existe um “Muro Invisível de Lamentações Tabajara”. Eu tô com uma marreta tentando destruí-lo. Tenho pressa de sair da cidade onde eu moro, mas vejo que quanto mais lamento por estar aqui, mais os dias e as horas parecem se arrastar.

Dia desses numa sala de cinema “O Curioso Benjamin Button” me disse que TODA HORA É HORA pra realizar as coisas que podem te fazer bem. Não precisa ser 01 de Janeiro pra que tudo mude, mas se estamos contando 01 no calendário, melhor…fica um tanto mais completo!

Entre sorrisos, lágrimas, dores, perdas e ganhos, prós e contras fatalmente saímos com alguma bagagem desse turbilhão de experiências que a vida nos dá. For exemple, até pouco tempo uma criança representava pra mim um sinal de irritação. Hoje enxergo as crianças numa vibe de “Meu Deus…uma hora dessas vou acabar sendo Mãe”. É a lei natural das coisas. “Desde sempre” somos filhos(as), depois aprendemos a ser mães e pais, avós, bisavós…por que o tempo não para. A gente passa um bom tempo da vida sem conseguir enxergar nitidamente que os nossos avós já foram crianças e “aborrecentes” um dia.

A palavra “mudança” em 2009 pode adquirir significados distintos comparada ao que cada um deseja. Láaaaa no seu íntimo, na sua individualidade. Há quem troque a Bahia por um outro Estado, há quem abandone a faculdade de Direito pra fazer Teatro, há quem descubra que é gay, há quem troque de namorado(a), há quem esteja se divorciando, há quem entre na faculdade enquanto outros estão se formando… fatos, fatos e fatos… Duralex Sedelex.

Pra fazer parte do meu “desejo de mudança”, voltei a ter um diário! Eu havia abandonado esse hábito em 2003, contudo, reconheço que eu era mais leve quando tinha nas mãos esse “porto seguro” que sempre está comigo sem poder me negar a sua cia. Mais importante do que esse ítem, só a vontade ainda maior de ficar mais próxima das pessoas que eu amo e que me amam. É pra continuar vivendo cercada por ELES que não quero esquecer ou abandonar esse instinto de MUDANÇA…seja essa ideia(sim, “ideia” sem acento reza a nova cartilha) falsa ou não.

Escrevam, anotem, pintem e rabisquem suas próprias histórias…Intensidade, Criatividade e Humor, aí vou eu! Woo-hoo!