Mexeu com você? Mexeu comigo.

fotocardiffzm41

Quantos anos eu tinha? 7. Eu devia estar preocupada em pentear os cabelos das minhas bonecas ou brincar de comidinha no quintal da casa da minha Avó…mas a expectativa dos meus tios para que à noite chegasse me despertava uma curiosidade doentia!

Uma fita de VHS comprada, pipoca, refrigerante e na Tv, a Globo transmitia um “O” show da Madonna! Naquela época, aquela mulher de cabelos curtos e loiros platinados poderia representar um perigo para a minha formação, segundo Minha Mãe, que fazia questão de me deixar bem, mas beeeeem longe da Tv.

Por qual motivo eu não poderia assistir? Aquilo não me saía da cabeça… E foi exatamente isso que eu fui conferir (DESCULPA MÃE, MAS EU LEVANTEI SORRATEIRAMENTE E FIQUEI ASSISTINDO ESCONDIDA ATRÁS DA JANELA).

A música “Holiday…celebrate” era cantada por meus tios e Madonna levava o público ao delírio com coreografias que colocavam a “Britney bitchy” no chinelo. Eu não lembro de “gostar” da cantora naquela época, mas a música Material Girl, me parecia bastante familiar. Olhei o show um pouco mais e mais, até que a Madonna beijou na boca um dos dançarinos…todos no palco faziam movimentos eróticos e algo me dizia que eu deveria voltar pra cama antes que Minha Mãe levantasse para conferir se eu estava devidamente coberta pelo lençol, como era de costume ela fazer toda noite.

15 anos se passaram…já ouvi a Britney dizer que não é inocente, vi a Mariah chegar ao auge e despencar, vejo a Beyonce lançar hits que nos fazem dançar, como eu posso dizer…é…feito uma…é…piranha? Mas gente, o que mais me impressiona é ver a Madonna subir no palco e continuar (aos 50 anos) levando multidões à loucura. Não…eu não fui ao show e nem irei. Não é por falta de vontade, mas de oportunidade($$$).

Garanto que, apesar de não estar no Maracanã ou no Morumbi pra assistir o Show da Turnê Sticky & Sweet, gritar e cantar o mais alto que eu puder Material Girl se é que essa música tá no repertório (porque, SIM, hj eu sei a letra todinha)…

Isso aqui não é um blog de FOFOCA, mas ADMITO, eu fiquei admirada com a presença da “Rainha do PoP” em solo brasileiro.

Mexeu com você? Mexeu comigo…

Anúncios

Continue Andando…

keep_walking_red-785085

Estava hoje eu, num daqueles dias onde poderia muito bem começar a escrever esse texto com aquele bom e velho “Querido diário”…mas pefiro começar questionando. Quem aí tem medo de como será a vida, depois que sair da faculdade, levanta o dedo!

Isso não é desabafo de “crise de recém-formanda”…é desabafo de quem chegou na metade do caminho e já fica pensando em “como será”? É nessas horas que devo ligar o botãozinho do “pensar, nem pensar”…como diria uma GRANDE amiga? Ou seria a hora de jogar sementes embaixo da terra e torcer…não só pra que chova para que os frutos apareçam, mas de preocupar-se em regar a plantação com apreço. Vejo que não dá mais para jogar com a sorte…

Ao escolher a “segunda opção” da pergunta lá de cima, reconheço que tudo o que eu fizer agora servirá de base para o que eu desejo construir. E…o que eu desejo construir? É….aquela história…profissão…realização…casamento…filhos! Quero trilhar uma ordem cronológica de fatos, quero fazer tudo com calma…mesmo que eu seja a ANSIEDADE em 1,70cm.

Mas…como posso eu falar em “CALMA”, se vivemos sob pressão o tempo todo!? Nessa vida severina tudo acontece tão rápido, mas tão rápido, que tenho a leve sensação que não aprendo e nem apreendo nada!

“O Conhecimento é a Chave de Tudo”…um título, sem dúvidas pra um livro de auto-ajuda. Essa frase é tão banal…tão clichê nos dias de hoje… chega a ser irritante… irritante porque trata-se da mais pura verdade! E vence quem tiver mais conhecimento e mais poder sobre eles na maneira como usá-los.

Na faculdade me recomendam livros… tentam expandir os meus pensamentos… tentam sufocar outros… tentam. No entanto…repito: É tudo tão rápido. Leio e termino a última página com a sensação que não entendi nada, ou ainda, me perguntando: “Caramba, pra que serve isso”?

Recorro ao dicionário quando surgem palavras desconhecidas, em poucos instantes “nem me lembro dela”. Vou a Biblioteca…trago um novo livro pra casa…e…olha só…aquela palavra que eu “achava” que nunca lembraria o significado, foi usada por uma segunda pessoa. Em breve vc encontra a tal palavra em outros lugares…em breve você vai se dando conta de  que o “CONHECIMENTO” não vai ter fim.

Aprender dói. Crescer…dói mais ainda!

A “adultice” vai chegando e você só nota a fase em que se encontra, quando percebe que aquele seu primo que você pegou no colo tá fazendo provas de vestibular. Quando você começa a lembrar com saudades que o Natal te traria aquela Barbie dos “sonhos”. Quando você precisa do colo da sua mãe, não só para ver Tv, mas para sentir que nesse mundo de meu Deus existe algo tão puro, capaz de te fazer esquecer tudo de ruim…capaz de te fazer acreditar que você também pode amar um dia “alguém” daquele mesmo jeito que “àquela mulher” que afaga os teus cabelos te ama.

Tenho visto que não paramos de APRENDER E APREENDER nunca!

Maria Aparecida’s Day Off

Alguém aí assim como eu, já desejou “entrar” num filme que gostou muito e quis fazer parte da história? Você seria um personagem que já existia no filme…ou inventaria um papel pra você dentro da trama? Estive pensando desejando esses dias, entrar na história de cada película que me encantou!

Posso garantir que eu não estaria debaixo do chuveiro vivendo aquela cena famosérrima do Psicose, tenho horror a filmes de terror…e diga-se de passagem…eu não morreria! Aquelas garotas loiras, peitudas e com ar de animadora de torcida parece que imploram para serem assassinadas! Nunca, nunquinha que eu andaria sozinha numa rua escura, ou ficaria no Colégio depois do período sabendo que teria um Cereal Serial Killer solto pela região! Quanto aos desavisados…tudo bem…dá até pra relevar…mas se eu recebesse um bilhetinho dizendo: Eu sei o que vocês fizeram no Verão passado… daria um jeito de me afastar léguas e mais léguas de distância da cidade em questão.

Tirei 2 minutinhos para me imaginar dentro de um filme do Van Damme, Jack Chan, Bruce Willys, Silvester Stallone, Arnold Xuazeneguer e os demais atores da linhagem “Chuck Norris Way of life”, e não tive dúvidas na conclusão: Eu seria salva! Já repararam como as mulheres em filmes assim só fazem atrapalhar…mas são as que dão um tempero no enredo. É uma espécie de 2 doses de estrógeno pra dar uma suavizada àquele excesso de testosterona e “mentira”!

Passeando pelas Histórias em Quadrinhos e derivados…eu não sei vocês, mas eu acho a Mary Jane Watson um xarope! Ela é chata pa caralh, ops, pra caramba e responsável por metade das crises existencias do Peter Parker. Mas… que eu queria tá no lugar dela, naquela cena que o Homem Aranha tá de cabeça pra baixo e ela tira a máscara dele e tasca um beijo na boca, numa daquelas ruas sinistras de Nova York, ahh, eu queria! E podem me chamar de bobona, criançona e quantos mais “onas” puderem ser criados, a verdade é que chego a sonhar que me chamo Helena Gabrielle Wayne! Casada com Bruce Wayne hahahaha, sim meus queridos, o Batman! Só de escrever isso, imaginei o Alfred me trazendo uma taça de champagne, enquanto o Bruce Batman, estaria em algum lugar de Gotham City combatendo o crime! Ser a Mulher Gato? É…eu acho ela poderosa e tal…mas essa coisa de “salvar o mundo” me aflige! Prefiro ser “mulher de herói” do que “heroína”…

O FILME QUE EU REALMENTE GOSTARIA DE FAZER PARTE? Qualquer um de Comédia Romântica! Podem me chamar de “mulherzinha”, não me importo, juro! Qual é a mulher que não gostaria de vestir cada uma das roupas que a Anne Hathaway veste em O Diabo veste Prada? Ainda mais com aquela trilha sonora na K.T Tunstall: “Sunddely I see”! Aliás a “Anne”, está no quesito Conto de Fadas da minha vida…porque eu odeio animais de estimação, mas em O diário da Princesa, dá vontade de ter um gato, só pra colocar o nome dele de “Fat Lui”. Em As Patricinhas de Bervely Hills, dá mesmo muita vontade de ser amiga da “Cher”, ela é linda, POP…só que dando um salto pra “atualidade”, o “Delta Nu” de Legalmente Loira bem que podia existir né? Imagina só…todas as Patricinhas do mundo reunidas, fazendo faculdade na Havardy! Aposto que na cabeça de muitos isso soou com um tom de utopia! Que maldade! Venenosos!

Partindo para o campo amoroso…eu lembro de que quando eu tinha uns 4 anos, tinha um garoto gordinho que gostava de mim…eu sempre lembro disso quando assisto De repente 30 e fico pensando: “Será que ele é parecido com o Mark Ruffalo hoje em dia”? Eu desejaria ter 30 anos só pra me certificar disso! hehe. Melhor ainda, seria estar numa festa chata e dançar “Thriller” com a coreografia igual a do Michael Jackson, nos mínimos detalhes! A festa iria Bombar!

Ficar em coma e virar um “fantasma” até que valeria a pena se o MarK Ruffalo já viram que eu tenho fixação por esse cara né? alugasse a minha casa e só ele conseguisse me enxergar! Tudo isso porque ele seria a minha “história mal-resolvida” na terra! Gente! Eu queria ser a Reese Witherspoon em E se fosse verdade! Sim, eu queria ser ela em carne e osso…TÁ…mais osso do que carne…mas eu queria!

Eu ficaria aqui horas e horas almejando ter a vida do personagem tal…querendo que o Johnny Deep fosse um Pirata na minha vida, querendo me casar em Las Vegas com o Ashton Kutcher, querendo ser a Sra. Smith do Brad Pitt…mas Óhh…nada seria mais divertido (tirando a Rave de Madagascar, porque feeeeeeeerve, sem noção)…NADA SERIA MAIS DIVERTIDO do que estar dentro do filme Curtindo a vida Adoidado, cantando e dançando “Twist and Shout” com o “inoxidável” Ferris Buller! Esse clássico da sétima arte marcou a minha vida! Obrigado Globo, por tê-lo repetido mais de 333 vezes na Sessão da Tarde!

P.s.: A Lagoa Azul…foi marcante também…mas eu nunca iria querer fazer parte de um filme daqueles né gente!? Aquela Ilha é linda, paradisíaca e tal…mas era deserta. “No tomadas” = “No Secador e Chapinha”.  Sendo assim a Emmeline pode ficar com o Richard só pra ela! Nesse filme, eu não entraria!